Saciedade sem comer? A força do pensamento pode fazer isso

Você pode reduzir seu apetite por um alimento específico se imaginar que está comendo esse alimento repetidas vezes. 


Você está comendo um alimento saboroso, só na imaginação, 33 vezes seguidas. Após esse exercício, o alimento é oferecido ao vivo e em cores e você estará apenas com a metade do apetite de quem que fez outro exercício de imaginação, como manipular moedas. Isso foi testado com confeitos M&M e com pedacinhos de queijo, mas quando o experimento era com queijinhos, o apetite por chocolate não diminuía, e vice-versa. A saciedade não era transferível para outro tipo de alimento. Essas experiências foram publicadas pela revista Science e abriram discussões calorosas sobre o poder da mente no controle de peso. 

Essa saciedade mental pode ser explicada pelo efeito de habituação. Estímulos repetitivos passam a não ter mais o mesmo impacto depois de um tempo. A primeira mordida costuma ser a mais gostosa. Entretanto, a última mordida também tem seu valor. Se sobrarem dois biscoitos em uma lata, eles serão considerados mais gostosos do que quando a lata está cheia.

O banquete mental teve seus efeitos colaterais. A vontade de comer outras comidas que combinavam com o alimento teste aumentou. Quem imaginou a degustação de queijinhos comeu menos queijo depois, mas comeu mais pão.

O poder da mente é realmente incrível. Este último mês, pesquisadores canadenses mostraram que só o fato de sermos confrontados com mensagens subliminares que nos lembram do café, já faz com que fiquemos mais alertas, mesmo sem chegarmos perto de uma xícara.

 

 

 

Confira o áudio da coluna Cuca Legal, uma parceria do ICB com a Rádio CBN Brasília: