Se você sofre de enxaqueca, pode tomar até dois cafezinhos por dia

Uma pergunta muito frequente no consultório neurológico é sobre a relação entre crises de enxaqueca e o café. Costumávamos dizer que até três xícaras por dia não atrapalharia o controle das crises, mas, de acordo com novo estudo, essa dose segura pode ser menor.


É muito comum as pessoas que apresentam enxaqueca relatarem que costumam ter crises de dor de cabeça quando expostas a determinadas situações. A enxaqueca é uma condição neurológica que afeta cerca de 20% das mulheres e 8% dos homens e é a terceira doença mais prevalente no mundo e é, na faixa etária entre 15 e 49 anos, a doença que causa mais incapacidade.

É estimado que cerca de 90% dos pacientes reconhecem ao menos um fator que desencadeia suas crises e mais de 80% deles reconheciam múltiplos fatores. Esses fatores são chamados de gatilhos e os mais citados são a menstruação, o estresse emocional, privação ou excesso de sono, alguns tipos de odores, jejum prolongado e o clima, especialmente o calor. Quase 20% reconhecem algum alimento como gatilho das crises, sendo o chocolate, queijos e salsicha os mais lembrados. Outros gatilhos menos comuns são a exposição à luz e ruídos fortes e o consumo de cafeína.

Falando agora especificamente sobe o consumo de bebidas que contêm cafeína, existe uma dose segura? Uma pesquisa publicada recentemente pelo prestigiado periódico JAMA aponta que até duas porções de bebidas cafeinadas  por dia é uma dose segura que não provoca piora das crises de enxaqueca.

O estudo foi conduzido pela Universidade de Harvard nos EUA e acompanhou por seis semanas 98 pacientes adultos com crises de enxaqueca frequentes. Duas doses de bebida cafeinada eram o equivalente a dois copos de 230 ml de café, duas xícaras de chá de 170 ml, duas latas de refrigerante tipo cola ou duas doses de 60 ml de energético. As duas doses por dia não conferiam piora das crises entre aqueles tinham o hábito de consumir tais bebidas, mas no caso das pessoas que raramente as tomavam, mesmo uma dose por dia já foi deletéria para o controle das crises.

Na enxaqueca, é de extrema importância a identificação dos gatilhos de crises e deve-se tentar evitá-los quando possível. Vale ressaltar que não existe uma lista rígida de situações que devem ser evitadas, pois cada pessoa responde de forma diferente a cada uma delas. No caso do cafezinho, até duas doses por dia, para quem o toma regularmente, parece ser uma quantidade segura.

Confira o áudio da coluna Cuca Legal, uma parceria do ICB com a Rádio CBN Brasília: