Boa memória é um ingrediente precioso ao discutir a relação

Os casais que têm bom desempenho em testes de memória têm seus conflitos minimizados após uma discussão da relação.


Memória de trabalho é a capacidade que nosso cérebro tem de guardar simultaneamente várias informações ao resolver um problema. Mais ou menos assim: quanto é cinco mais a soma de sete com seis mais a soma de oito com nove? Sua memória de trabalho lhe permite chegar ao resultado de 35. Esse foi um exemplo matemático, mas precisamos da memória de trabalho numa simples conversa, mantendo na memória os pontos que o outro está lhe falando. Um estudo recém-publicado pelo Journal of Experimental Psychology General demonstrou que esta habilidade facilita a relação entre os casais.

Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte nos EUA conduziram um estudo longitudinal mostrando que quanto maior a capacidade de memória de trabalho num casal maior também a redução da severidade nos problemas de relacionamento que enfrentam. Todo relacionamento atravessa problemas de tempos em tempos, mas a forma como esses problemas são resolvidos determina o quanto a relação é satisfatória e duradoura.

Eles acompanharam uma centena de casais que tinha uma união estável há menos de três meses. Os voluntários eram submetidos inicialmente a uma bateria de testes para medir a capacidade da memória de trabalho e em seguida passavam por duas discussões que envolviam resoluções de problemas da relação. Cada um escolhia um tópico que achava que podia ser melhorado se o outro mudasse seu comportamento. Quatro e oito meses após as discussões eles eram interrogados sobre o quanto aqueles problemas melhoraram ou pioraram. Os casais que apresentaram melhor desempenho na memória de trabalho tinham uma tendência em ter seus problemas minimizados com o tempo. Eles também se lembravam mais das posições do outro durante as discussões.

São várias as razões que explicam uma menor memória de trabalho entre os voluntários. Essas causas vão desde à característica inerente do indivíduo, aquela que que o seu desenvolvimento cerebral ao longo dos anos lhe permitiu, até fatores situacionais como estresse, cansaço mental e falta de interesse. Independente da razão, se na discussão da relação, a memória de trabalho do outro é ineficiente, menores as chances de sucesso na compreensão e atitude frente aos problemas.

Dica valiosa desse estudo: se for discutir a relação escolha um momento que ambos estão descansados e com a atenção plena. Que tal combinar um café no começo do dia?

Confira o áudio da coluna Cuca Legal, uma parceria do ICB com a Rádio CBN Brasília: